Ácido fólico ajuda engravidar? Saiba mais aqui

Ter boa alimentação, evitar o estresse, o cigarro e o álcool são fatores que contribuem para uma gestação. No entanto, se o seu desejo é ser mãe, também não pode faltar ácido fólico, uma vitamina essencial para quem quer engravidar.

Antes de conceber a criança, o casal que sonha com um bebê precisa tomar certos cuidados e ter logo o acompanhamento médico. O ginecologista é de extrema importância para dar as orientações durante todo o processo.

Ele vai pedir exames (tipagem sanguínea, rubéola e toxoplasmose, entre outros) para verificar a saúde da futura mamãe e poderá receitar o ácido fólico. A consulta inicial prepara a mulher para gestação.

Nem todas que pretendem dar à luz conhecem a importância de tomar ácido fólico tanto na preconcepção quanto nos três primeiros meses de gravidez.

Foto: Minha Vida/Reprodução

Foto: Minha Vida/Reprodução

Ácido fólico nada mais é do que uma vitamina do complexo B, conhecida como vitamina B9 ou vitamina M. Ela é fundamental para a formação do feto, sendo a maneira mais eficaz de evitar má-formação do tubo neural dele.

O tubo é uma estrutura embrionária que serve de ponto de partida para o sistema nervoso central do bebê. A formação do sistema acontece entre o 17º e o 30º dia após a concepção.

Qualquer alteração no processo pode provocar problemas graves como anencefalia, doença que leva o bebê à morte em 100% dos casos.

O ácido fólico ajuda a engravidar e ainda evita outro problema: a espinha bífida. A enfermidade faz com que o canal espinhal do bebê não seja fechado.

As consequências da espinha bífida podem ser a paralisia dos membros inferiores, incontinência urinária e intestinal, além de diversos graus de deficiência mental e dificuldades de aprendizagem.

Lábio leporino, síndrome de down, partos prematuros e abortos no primeiro trimestre de gestação são outros problemas cuja incidência é significativamente menor quando há ingestão da vitamina M.

Com a dose correta da suplementação de ácido fólico no período adequado é possível reduzir em até 80% todos esses casos.

A importância do ácido fólico na gestação

Em geral, quem planeja engravidar precisa tomar 400 microgramas de ácido fólico por dia, mantendo a suplementação durante todo o terceiro trimestre de gravidez.

As mulheres com mais de 35 anos ou que já tiveram filho com deficiência no tubo neural precisam aumentar a dosagem em 10 vezes, ou seja, ingerir de 4 mg a 5 mg do ácido fólico diariamente.

A vitamina B9 age diretamente na qualidade do óvulo e auxilia no estímulo dos hormônios sexuais femininos.

Se a gravidez não estava sendo planejada, ainda é possível (e necessário) administrar a substância caso a mulher não tenha passado de três meses de gestação.

O suplemento de ácido fólico é distribuído de graça nos postos de saúde e pode ser comprado nas farmácias por preços acessíveis.

Fertilidade masculina e ácido fólico: conheça a relação entre eles

Os futuros papais também têm no ácido fólico um poderoso aliado na busca pela qualidade se seus espermatozoides. Caso os gametas masculinos apresentem anormalidades em seus cromossomos, haverá erros na divisão celular – que podem resultar em embriões com problemas.

As anormalidades são capazes de gerar bebês portadores de síndromes e/ou distúrbios cromossômicos, além de abortos.

Porém, a vitamina B9 diminui a chance de anormalidades nas células reprodutoras do homem, de acordo com pesquisa da Universidade da Califórnia, em Berkeley.

O ideal é que o ácido fólico comece a ser tomado no mínimo três meses antes da fecundação e até a 12ª semana de gestação, sem interrupções. É o período de divisão celular e formação do embrião, propício ao surgimento de anomalias.

Dizem, inclusive, que a vitamina M atua depois do parto também, cujos benefícios poderiam ser sentidos na qualidade do leite materno. Ou seja, o ácido fólico ajuda engravidar e a garantir um bebê saudável em vários sentidos.

Cuide-se e a gente se encontra em breve!