Amamentação: como prevenir e tratar as fissuras mamilares?

Quando o bebê não mama direito, tanto ele quanto a mãe têm prejuízos. O filho corre o risco de ficar desnutrido; a gestante adquire fissuras nos mamilos, também conhecidas como rachaduras, entre outras consequências desagradáveis.

A causa mais frequente de trauma e dor na região mamilar é a técnica inadequada de aleitamento materno. Ou seja, dar o seio ao filho é um gesto de amor, mas pode ser desconfortável se não for do jeito certo.

Sem dúvidas, o tratamento básico do problema nos mamilos é a correção da amamentação, embora também seja discutida com frequência a eficácia da utilização de lanolina purificada para facilitar a cicatrização do tecido machucado.

A ideia de aplicar o produto nas fissuras mamilares seria manter a região hidratada, incluindo suas camadas mais profundas. Só que, sem a correção da forma com a qual o seio é oferecido à criança, a lanolina de nada adiantaria. Então, o risco de desmame aumentaria.

E mais: além de não resolver o problema das rachaduras nos mamilos, o uso da substância tornaria o ato de amamentar mais caro.

Ninguém nasce sabendo ser mãe. Mulher precisa de informação e ajuda para colocar o aleitamento materno em prática.

Pode ser que, para algumas, ele seja mais fácil, mas para outras nem tanto. E mesmo entre as mais rapidinhas no aprendizado, sempre surgem dúvidas e probleminhas.

É interessante ter o auxílio de profissionais de saúde treinados e experientes em manejo da amamentação. Outras medidas que podem ajudar a prevenir as fissuras mamilares são:

• Manter os mamilos secos;

• Expor os mamilos ao sol de vez em quando;

• Não passar (na aréola e nos mamilos) produtos que retiram a proteção natural da pele: álcool, sabões e produto secante, entre outros;

• Evitar o uso de protetores (intermediários);

• Antes de oferecer o seio, ordenhar um pouco de leite para deixar aréola mais macia e facilitar a pega – quando ela estiver tensa e ingurgitada;

• Na pausa da mamada, introduza seu dedo mínimo na boca do bebê através da comissura labial. Assim, a criança solta o peito e não traumatiza o mamilo;

• Começar o aleitamento pela mama menos afetada para que o reflexo de ejeção já ativado favoreça a descida do leite no outro seio;

• Procurar amamentar em diferentes posições. Isso ajuda a diminuir a pressão nos pontos de dor;

• Evitar o contato dos mamilos com as suas roupas;

• Passar o próprio leite nos mamilos depois de amamentar; deixar secar ao ar livre e usar analgésico por via oral, quando necessário.

É comum no início da amamentação os mamilos ficarem avermelhados, sensíveis e com pequenas rachaduras. As lesões, conhecidas como fissuras, provocam dor e dificuldade na hora de alimentar o bebê.

Se elas já apareceram, a recomendação é continuar amamentando e, depois de cada mamada, passar o próprio leite no mamilo – como citado anteriormente.

As conchas evitam o atrito do mamilo com o tecido do sutiã, que é fonte de dor e dificulta a cicatrização. Mas elas devem ter base de silicone, para não machucar, e furos, para garantir ventilação.

Já os protetores de silicone ou bicos de plástico colocados sobre o mamilo são contraindicados. Os especialistas dizem que eles não são eficazes para evitar a fissura e ainda prejudicam a pega, fazendo com que a criança passe a sugar menos leite.

Banhos de sol (10 a 15 minutos), das 7 às 10 horas e após as 15 horas, são indicados tanto para prevenir como para tratar as fissuras nos mamilos.

Caso o tempo esteja frio ou úmido, eles podem ser substituídos por outra fonte de luz, como uma lâmpada de 40W, a 30 cm de distância.

Manter os mamilos secos é fundamental para sua boa cicatrização.

Cuide-se e até breve!

    1. LUCIANA April 19, 2018

    Add Your Comment