Atividade física durante a gravidez: pode ou não?

Gravidez não é doença; a mulher pode fazer de “tudo”. É verdade! Gestantes podem até praticar exercícios físicos, mas com algumas precauções. Confira orientações para treinar com segurança:

• Alongamentos e exercícios aeróbios em geral são liberados, desde que não haja restrição médica e a grávida tenha acompanhamento de um professor.

Ou seja, dá para fazer, sim, algo mais que hidroginástica e caminhada durante a gestação.

hidroginastica_gravidez

• Abdominais – existe divergência a respeito deles. Uns defendem a prática somente no começo da gravidez; outros afirmam que é melhor não fazer abdominal durante os 9 meses. Na dúvida, consulte seu médico!

• Ginástica localizada e caminhadas – podem ser feitas de 2 a 3 vezes por semana, de 50 a 60 minutos.

ginastica-gravidez

• Exercícios nos quais você fica em pé por muito tempo – cuidado com eles! Costumam dificultar a circulação do sangue, provocando queda de pressão e mal-estar.

• Step – é uma prática que também deve ser evitada, pois as articulações da mulher ficam mais frouxas na gravidez, aumentando o risco de torções.

• Atividades de alta intensidade – fique atenta aos exercícios com ritmo puxado demais, já que o fluxo de sangue no organismo diminui durante a execução deles. O que leva, por sua vez, à redução da passagem de nutrientes e oxigênio para o feto.

Cada trimestre pede cuidados diferentes – se nos primeiros 3 meses a mulher é capaz de caminhar meia hora sem pausa, conforme ela se aproxima dos 9 meses, o tempo de caminhada é reduzido.

Saiba mais sobre exercícios físicos na gravidez

atividade-fisica-gravidez (1)

Seja qual for a atividade escolhida, o fato é que os exercícios beneficiam a saúde de mãe e filho. Eles ajudam a controlar a pressão arterial, ansiedade, relaxar, diminuir dores e inchaço.

Já no pós-parto, os exercícios auxiliam na rápida recuperação da mulher, melhoram seu humor e autoestima.

Como se não bastassem todas essas vantagens, estudo recente indica que atividades físicas durante a gravidez são importantes ainda para o bom desenvolvimento do sistema nervoso do bebê.

Em geral, o exercício deve ser leve e relaxante, podendo ser realizado diariamente, em alguns casos, e sempre respeitando as limitações de cada pessoa.

Mas tudo vai depender muito de como era a vida da gestante antes, se era sedentária ou não, e de seu estado de saúde na gravidez.

O acompanhamento médico adequado e pré-natal completo são imprescindíveis.

Caminhada, hidroginástica, natação, bicicleta ergométrica, alongamentos e ioga estão na lista das atividades mais indicadas nesta época delicada. Eles são eficazes no controle de peso, não prejudicam os joelhos e melhoram o sistema cardiovascular; são ótimos para a mamãe e o bebê.

Entretanto, com orientação profissional e bom senso, qualquer atividade física pode ser realizada pelas grávidas.

Quem já treinava antes de engravidar costuma ter mais opções que a mulher que só começou a se exercitar ao ficar gestante.

Fique atenta aos sinais de alerta durante os exercícios físicos na gravidez:

• Contrações no útero;
• Desmaio;
• Dor no peito;
• Dor abdominal;
• Enjoo;
• Falta de ar;
• Palpitações;
• Sangramento vaginal;
• Tontura;
• Visão embaçada ou turva.

Se você está grávida e apresentar ao menos um destes sinais, deve parar imediatamente a atividade e consultar o obstetra.

Porém, existem algumas doenças e/ou situações que podem ser motivos de restrições ou proibição total dos exercícios físicos. E também é importante procurar o médico. Veja:

• Doença cardíaca;
• Diminuição dos movimentos do feto;
• Enfermidade ortopédica;
• Gravidez de gêmeos com risco de prematuridade;
• Hipertensão e hipotireoidismo descontrolados;
• Problema pulmonar;
• Placenta prévia depois de 26 semanas;
• Pré-eclâmpsia;
• Retardo no crescimento intrauterino;
• Sangramento uterino ou vaginal.

Cuide-se e até o próximo artigo!