Chás abortivos: conheça os principais que toda grávida deve evitar

Grávidas precisam tomar cuidado com a alimentação, ingerindo mais itens saudáveis, riscando alguns outros do cardápio. Certas bebidas estão na lista dos produtos proibidos, entre elas os chás considerados abortivos.

Apesar de ervas e fitoterápicos serem utilizados tranquilamente por muitas pessoas no preparo de infusões, nem tudo o que vem da natureza é bom para o bebê.

Muito ainda precisa evoluir em relação as pesquisas sobre os efeitos nocivos das plantas medicinais em gestantes. Porém, sabe-se que determinados chás podem provocar o aborto ou malformações, principalmente quando usados de forma excessiva.

gravidez

Por isso, fique atenta e evite consumir as seguintes ervas:

• Aloe Vera (babosa)
• Angélica
• Arnica
• Artemísia (losna)
• Azedaraque
• Beldroega
• Buchinha do Norte
• Canela
• Carqueja
• Cáscara-sagrada
• Catuaba
• Cipó-mil-homens
• Copaíba
• Confrei
• Cravo dos Jardins
• Erva-andorinha
• Erva-de-bicho
• Erva-de-macaé
• Erva-de-santa-maria
• Erva-grossa
• Espirradeira
• Guaco
• Hera
• Hortelã
• Ipê
• Jaborandi
• Jarrinha
• Jurubeba
• Lágrima-de-nossa-senhora
• Mata-pasto
• Mirra
• Peônia
• Pinhão-de-purga ou pinhão-paraguaio
• Pessegueiro
• Quebra-pedra
• Romã
• Ruibarbo
• Sene
• Trombeta

Sene, arruda, buchinha-do-norte, quina-quina, aroeira, boldo e agoniada são capazes de causar contrações no útero que levam à expulsão do feto.

O chá de boldo chileno, por exemplo, é livremente comercializado, indicado para tratar distúrbios no sistema digestivo. Entretanto, ele pode causar aborto e deve ser evitado por mulheres grávidas.

O chá de canela é um dos mais famosos contraindicados para as futuras mamães. Ele causa constrição sanguínea e contração dos músculos do útero.

O chá de hortelã também deve ser excluído do menu tanto durante a gravidez quanto na amamentação, porque diminui a produção de leite.

Chás com muita cafeína (chá-verde, preto e branco; erva-mate) são outros que precisam desaparecer por um bom tempo da vida de quem espera um bebê.

Em geral, os chás permitidos na gestação são os de camomila, erva-cidreira e erva-doce. Eles ajudam a proporcionar relaxamento, fazendo bem tanto à mãe quanto ao filho.

Mas, para evitar riscos, a recomendação é que nenhum chá seja consumido pelas grávidas sem orientação especializada. Mesmo sendo a origem do produto vegetal, a orientação para as gestantes é de não ingerir qualquer remédio sem conhecimento prévio do médico.

Chás são versáteis e gente do mundo inteiro usa a bebida no inverno ou no verão, mudando detalhes do preparo e acrescentando outros ingredientes. O resultado é uma combinação única de cores, sabores e aromas.

São infusões aparentemente inofensivas, leves, que normalmente caem bem no estômago. Só que nem todos devem ser consumidos pelas grávidas, especialmente nos primeiros meses de gestação.

Existem muitas controvérsias sobre os chamados chás abortivos, mas quando o assunto é gravidez é sempre bom ter cautela.

Para muitos, não existem chás para abortar, pois não há comprovação da ciência sobre tal efeito. No entanto, diante da possibilidade de interromper uma gestação, o melhor é não correr qualquer tipo de risco.

E como nem sempre o efeito pode ser o aborto, quem tomar os chás abortivos na tentativa de interromper a gravidez não planejada, por exemplo, pode ter as expectativas frustradas.

Não há garantia de que o aborto espontâneo acontecerá e, para completar, certas bebidas têm potencial para prejudicar a formação do bebê e fazer mal à gestante também.

Os chás estão na lista de remédios naturais mais recomendados e fazem parte de receitas de mães e avós para diversos males.

Nos quatro cantos do mundo, tem sempre alguém tomando um chazinho, quente ou frio. Consumidos com moderação e cautela, os chás têm inúmeros benefícios e são deliciosos.

Saúde e até breve!