Colostro: entenda a importância dele para o bebê

Antes do leite materno surgir, a mama produz um fluido bastante líquido, amarelado, quase transparente. É o colostro. Considerado a primeira vacina da criança, deve ser dado ao recém-nascido o quanto antes.

O colostro é muito rico em proteínas, água e gorduras essenciais. Um produto que a própria natureza humana se encarrega de adaptar nutricionalmente às necessidades do bebê, ajudando a reforçar sua imunidade.

O primeiro alimento do bebê fora do útero é repleto de anticorpos produzidos pela mãe. Uma espécie de “tesouro de família”, cujo conteúdo é altamente personalizado, impossível de copiar ou prever.

É através do colostro que são transmitidas as informações sobre todos os micro-organismos com os quais a mulher entrou em contato. Assim, o filho fica protegido até que comece a receber outras formas de imunização, como as vacinas.

A importância do colostro para a saúde do bebê

Além de ser fundamental para o sistema imunológico da criança, o colostro contém substâncias que preparam o intestino do recém-nascido para receber o leite materno. São compostos que protegem a parede intestinal.

O pré-leite é a única substância capaz de eliminar os resíduos de mecônio do trato gastrointestinal do bebê, ajudando o intestino a amadurecer e funcionar adequadamente.

E mais: previne o aparecimento de alergias, infecções e diarreia, graças ao correto controle e equilíbrio das bactérias que se desenvolvem no intestino do neném.

Benefícios do colostro

No colostro existe também uma grande quantidade de imunoglobulinas, que em certas espécies não conseguem passar pela placenta. Resultado: fica a cargo total do colostro transferir tais elementos de mãe para filho.

A natureza é tão sábia que, antes mesmo da chegada do bebê, é comum vazar colostro dos seios. Ou seja, o corpo tem mecanismos perfeitamente harmônicos, no seu tempo, cada um com sua finalidade.

Os seios se desenvolvem durante a gestação, chegam ao ponto de produzir esse pré-leite rico em proteínas, para quando o bebê nascer.

Na verdade, o colostro já é produzido a partir da 16ª. semana de gravidez. E vai se transformando gradativamente em leite maduro nas primeiras duas semanas pós-parto.

Algumas mulheres têm maior vazamento do alimento; outras não têm nenhum sinal do líquido durante toda a gestação.

Mas não precisa se preocupar se o colostro não vazar. É absolutamente normal também.

O colostro aparece poucas horas depois do parto, mesmo que você não consiga perceber sua chegada.

No dia do nascimento, o líquido é ainda mais rico. Tanto é que especialistas chamam as primeiras horas de vida de “golden hours”.

E a ausência dele ao longo da gravidez, aparentemente, não tem qualquer relação com a quantidade de leite que será produzida posteriormente.

Por outro lado, no caso de muito vazamento de colostro, isso não é motivo de apreensão, pois o líquido precioso não faltará para o seu bebezinho.

O que pode acontecer é um certo desconforto para você e seu parceiro durante as relações sexuais, quando é possível sair mais colostro ainda. O que também é normal.

Conclusão…

Não é à toa que o colostro é considerado a primeira vacina do bebê. Ele ajuda a regular o próprio sistema imunológico do recém-nascido; é rico em vitamina A, importante na proteção dos olhos e na redução das infecções; estimula os movimentos intestinais e atua na prevenção da icterícia.

Colostro e o leite materno propriamente dito são indispensáveis ao bom crescimento e desenvolvimento do seu filho. Amamente-o!

Até o próximo artigo!