Como escolher uma creche? Dicas e o que avaliar

Querer nenhuma mãe quer muito, mas chega a hora de deixar a criança em um lugar bacana e voltar à rotina de trabalho fora de casa. Um momento difícil, porém, necessário. Confira hoje dicas para escolher uma creche, e ficar mais tranquila.

O que avaliar ao escolher o berçário ou a creche para cuidar do seu filhote com todo o carinho e os cuidados que ele merece?

  • Verifique se os ambientes são arejados o suficiente, se possuem boa iluminação, além de higiene e segurança. Confira a segurança dos berços, se os bebês têm supervisão o tempo todo em banheiras e trocadores.

E mais: assegure-se de que não haja elemento sufocante algum (talco, sacos plásticos) perto das crianças. Tomadas elétricas precisam estar protegidas ou fora do alcance dos pequenos, assim como produtos de limpeza e remédios.

A segurança é um dos pontos mais importantes. Então, observe parquinho, piscina, vidros, degraus; se a área reservada às crianças pequenas é separada etc.

  • Antes de optar por uma creche ou outra, perceba se há controle de temperatura na hora do banho.
  • Veja como será a alimentação do bebê com menos de seis meses. Uma creche boa oferece condições para que, dentro do possível, a amamentação continue, com menor prejuízo.

Quando ele já passou da fase de mamar, é importante introduzir novos alimentos em casa para, depois, oferecê-los na creche.

  • A presença de brinquedos coloridos, sonoros e com movimentos é essencial para desenvolver a criança em vários aspectos, entre eles, visão, audição e coordenação motora.
  • A creche dispõe de atividades recreativas com música, histórias, entre outros estímulos para o bebê desenvolver sua oralidade?
  • Ao verificar a infraestrutura, perceba recursos como áreas verdes, biblioteca, além de aspectos humanos como o número de crianças por turma e os auxiliares.
  • Considere ainda a distância da sua casa ou trabalho até a creche. Lembre-se que horários de entrada e saída geralmente rendem boas horas de trânsito, principalmente nas cidades maiores. Ter um bebê chorando no banco de trás não é uma ideia agradável.

E se houver alguma emergência com certeza é melhor estar por perto.

  • Conheça a linha pedagógica do lugar. Seu filho é muito pequeno, mas é interessante estar em um ambiente que tenha os mesmos valores nos quais a família acredita.
  • Ao calcular custos, não leve em conta somente o preço da mensalidade. Inclua: material, roupas, lanche, passeios, transporte, taxa de matrícula, enfim, o que mais vier agregado.

Atualmente, muitos berçários oferecem atividades extracurriculares, educação bilíngue e até alimentação especial. Mas tudo tem um custo. A conta pode ficar alta!

  • A parceria é outra dica para escolher uma creche. Os pais e a instituição devem ter canal aberto de comunicação.
  • Cheque a capacitação dos funcionários da creche, sua formação, experiência e, especialmente, o afeto com as crianças.
  • Como é a disciplina? Os horários da creche são rígidos ou soltos demais? Você concorda com eles? A disciplina ideal é a que tenha maior afinidade com sua família.
  • Que tal pedir referências a amigas? Sempre ajuda a escolher uma boa creche saber o que outros pais aprovaram.
  • Veja como é a fase de adaptação do bebê ao local. O recomendável é você começar deixar a criança no berçário ou creche cerca de duas semanas antes de voltar ao trabalho. E o processo deve contar com sua presença lá, pertinho do filhote, durante algumas horas por dia.
  • Informe-se sobre como a creche age em caso de doença; qual a conduta para evitar a disseminação de doenças contagiosas, por exemplo.
  • Tem local para os profissionais lavarem as mãos com frequência na creche?
  • As crianças ficam confinadas em áreas muito pequenas em dias de frio ou chuva?

As dicas para escolher uma creche estão aí! Agora é com você… Espero que tenha sucesso!

Até breve com muitas outras!