Dicas para dirigir em segurança durante a gravidez

Grávida ao volante, cuidado constante. A frase bem que poderia ser esta, tamanha a responsabilidade de quem dirige enquanto espera o bebê chegar.

Afinal, posso usar cinto de segurança quando a barriga cresce e aparece? E como fazer isso? Até quando posso conduzir meu carro sem arriscar demais a minha vida e a do meu filho?

São muitos os questionamentos. E hoje eu trago conselhos gerais de direção para grávidas. É claro que dependendo de possíveis limitações extras, a mulher precisa sempre seguir as orientações de seu obstetra.

Confira dicas para dirigir em segurança durante a gravidez:

• Use o cinto de segurança de três pontos, lembrando de manter a faixa inferior abaixo da barriga, sempre justa ao máximo possível.

• A faixa diagonal não deve ficar sobre a barriga, muito menos debaixo do braço ou da axila. Ela precisa cruzar o meio do ombro, passar rente os seios e lateralmente ao abdômen.

• No primeiro trimestre de gravidez, o melhor mesmo é não dirigir se ocorrerem aqueles sintomas típicos de gravidez: tontura, náusea, vômito e sonolência.

seguranca-gravida-ao-volante

• A regra geral também diz que a partir do oitavo mês de gestação a mulher não deve dirigir, pois a barriga pode ter crescido bastante, ficando, portanto, próxima ao volante.

Dependendo do caso, isso ocorre até antes desse período. E em caso de colisão, as chances de descolamento da placenta ou indução ao parto prematuro aumentam.

• O ideal é conversar com o seu obstetra para definir a melhor estratégia. Algumas mulheres dirigem até bem perto do parto, quando estão fisicamente bem e recebem liberação médica para tal. E mais: fazem trajetos curtos, mais próximos da própria residência.

• Outra dica é manter os telefones do obstetra e dos parentes em lugar de fácil acesso, dentro do carro.

• Em caso de mal-estar na direção, como contrações, por exemplo, o correto é parar o veículo em local seguro e ligar pedindo ajuda.

• Se for necessário ir a um hospital, a recomendação é chamar um táxi. Não dirija em condições extremas.

Gravidez é uma fase delicada, mas não é sinônimo de invalidez. Gestante não precisa ficar em casa, parada, sem fazer esforço algum e fugindo de tumultos.

Sim, existem gestações de risco, que exigem cuidados especiais e mais restrições. Porém, no geral, as futuras mamães podem trabalhar, se exercitar e dirigir.

Antes de pegar o carro e sair para toda a parte, observe alguns pontos importantes: cinto de segurança, espaçamento da poltrona e velocidade máxima permitida, entre outros.

Ignorar as dicas pode ser mais perigoso do que a direção em si. Partos prematuros, lesões, sangramentos sérios e até a perda do bebê podem ser consequência de uma direção imprudente.

O Código de Trânsito Brasileiro não proíbe a grávida de dirigir. No entanto, ela precisa entender que há riscos, especialmente nos primeiros três meses de gravidez. O trimestre inicial é cheio de tonturas e enjoos. E eles não combinam de jeito nenhum com direção.

É claro que a vida corrida muitas vezes deixa as mães diante de situações como a responsabilidade de pegar outros filhos na escola, ou seja, dirigir pode ser uma necessidade acima de tudo. Mas que seja feita da melhor forma possível, minimizando os riscos.

Derrapagens, colisões, freadas bruscas e buracos. Estradas e ruas trazem dezenas de perigos, especialmente para as grávidas. Todo cuidado é pouco.

Fique atenta e siga as instruções do seu médico!

Até o próximo post…