Do berço para a cama: confira dicas para facilitar a transição

Às vezes, dá vontade de parar o tempo. Mas é impossível! Eles crescem e passam a dormir na cama. Veja hoje os truques para ajudar seu bebê a sair do berço com mais tranquilidade, sem traumas.

Quando a criança começa a dar os primeiros passos, quer descobrir o mundo ao redor, andar por toda a parte. É natural querer usar as próprias pernas para fazer isso. É nesse momento que muitos pais têm dúvidas em relação ao móvel de dormir.

A curiosidade dos pequenos inspira a do papai e da mamãe: “Será que é hora de fazer o bebê dormir na própria caminha? Mas, como fazer isso da melhor forma possível?”

Vamos por partes! Quanto à primeira pergunta, os especialistas afirmam que não há uma idade específica para a transição acontecer. Um fator determinante, no entanto, é perceber se o momento do desenvolvimento do filho é apropriado para a mudança.

Por exemplo: se, em vez de um lugar seguro, o berço passa a ser um obstáculo a ser ultrapassado pelo bebê, é hora de trocar o local do descanso.

O receio de que o móvel (mais especificamente sua grade) não seja mais um empecilho preocupa muita gente grande – ao ponto de antecipar a troca do berço pela cama. Mas para sair por conta própria, o nenê precisa se levantar e ficar em pé com ou sem apoio.

Quanto à adaptação à nova realidade, alguns pequenos têm mais facilidade que outros. É como se a mudança para a cama fosse um passaporte para o universo de gente grande.

crianca-primeira-cama

Porém, o desapego do bercinho pode ser mais difícil para uma turminha. Aí, é preciso ter mais paciência! Confira dicas que podem ajudar nessa missão:

• Explique os motivos pelos quais o móvel será trocado por uma caminha;

• Comece baixando as grades do berço e ensinando a criança sobre o jeito certo de usar o móvel, assim como os riscos ao subir e descer;

• Para diminuir a resistência à troca, valorize a mudança repaginando o espaço da criança e preste atenção à reação dela diante da novidade. Isso ajudará nos próximos passos;

• Se perceber uma insegurança muito grande, talvez seja melhor aguardar um pouco, ou seja, não eliminar o berço de uma vez. Caso tenha espaço, mantenha o móvel ao lado da nova cama para diminuir o impacto do ritual de passagem;

• Outra forma de facilitar o processo é jamais passar uma ideia de que isso é um castigo ou punição porque a criança tentou sair (ou saiu) do berço sozinha;

• Deixe seu filho participar da escolha e da compra da cama nova, assim como de seus complementos. Opinar sobre travesseiro e lençóis deixará o pequenino empolgado com a novidade e, por consequência, mais aberto à mudança.

Lembre-se que a primeira cama do seu filho deve ser mais baixa, para facilitar a acessibilidade e proporcionar segurança extra. E ainda: os cantos do móvel precisam ser arredondados; a caminha deve possuir meia-grade protetora dos dois lados.

A meia-grade poderá ser retirada quando a criança estiver segura e adaptada. Até lá, é importante também que tenha espaços pequenos entre as colunas, para impedir que ela prenda a cabeça.

O colchão tem que ser firme e flexível, com densidade adequada para não ceder ao peso do garotão ou da mocinha. A densidade 18 é a mais recomendada até os 3 anos de idade.

E procure sempre o selo do INMETRO, além de produtos de espuma – que possuem melhor custo e maior praticidade.

Sucesso com a passagem do berço para a cama! Agora é só colocar em prática as dicas para facilitar a transição…

Até breve com mais conteúdo!