Impetigo: conheça sintomas e tratamento desta infecção de pele

Impetigo é uma doença causada por bactéria, que pode ser Staphylococcus aureus, Streptococcus pyogenes, ou, ainda, ambas. A infecção é altamente contagiosa e afeta as camadas mais externas da pele.

O germe Staphylococcus aureus é uma bactéria gram-positiva, com formato que lembra o de um cacho de uva. Este microrganismo pode criar colônias na pele e no nariz de pessoas saudáveis.

Já o Streptococcus pyogenes, um estreptococos beta-hemolíticos pertencente ao grupo A, transita normalmente em nossa pele, boca e mucosa respiratória superior.

A explicação acima serve para demonstrar que, em geral, estas bactérias não nos fazem mal. Mas basta uma quedinha em nossa imunidade, uma ferida superficial (corte, picada de inseto, arranhão, por exemplo) e a situação pode mudar.

Lesões causadas por outras enfermidades na cútis também costumam funcionar como entrada para o micróbio do impetigo.

Qualquer pessoa pode ser afetada pela doença, mas as crianças entre dois e seis anos são mais susceptíveis, principalmente em épocas quentes e úmidas e nos locais com poucas condições de higiene.

O tempo de incubação do impetigo vai de quatro a dez dias, fase em que a pessoa infectada pode transmitir a doença mesmo não aparentando ter qualquer indício dela.

Para contrair a infecção, é preciso ter contato direto com as feridas ou secreção nasal dos infectados. Objetos contaminados são outras fontes de contágio. Por exemplo: roupas de cama e banho, brinquedos, roupas pessoais etc.

Fique de olho nos principais sinais e sintomas de impetigo

  • Erupções que começam com um só ponto, mas espalham-se para outras partes ao coçar a pele
  • Formação de crostas
  • Lesões no rosto, braços, pernas ou lábios que surgem em outras áreas do corpo
  • Nódulos linfáticos inchados perto do lugar da infecção
  • Pele avermelhada com jeito de machucado, especialmente nos locais de rompimento da pústula (em crianças)
  • Pústulas cheias de líquido amarelado, e que coçam
  • Uma ou mais bolhas purulentas que estouram com facilidade
  • Vazamento de pus

Existem mais alguns fatores que aumentam a probabilidade de contrair o impetigo. São eles: estar em escolas ou outros ambientes infantis, além de locais fechados e com grande concentração de pessoas; ser idoso, diabético ou ter algum comprometimento no sistema imunológico.

Caso o impetigo não seja tratado a tempo, podem ser notadas algumas complicações, tais como o aparecimento de manchas escuras depois da inflamação e, ainda, outras doenças fora da pele.

As lesões do impetigo são curadas lentamente, mas as taxas de sucesso no tratamento são altas, se o paciente seguir à risca as recomendações médicas.

Cicatrizes de impetigo são raras. Mas a reinfecção é bastante frequente em crianças.

Geralmente, os médicos que dão diagnóstico de impetigo são: clínico geral, dermatologista e infectologista. O que é feito por meio da observação clínica, pela análise das feridas encontradas na pele do paciente. Testes de laboratório normalmente não são necessários.

Quando os ferimentos provocados pelo impetigo não respondem ao tratamento, o profissional de saúde pode reavaliar se as terapias empregadas estão sendo devidamente seguidas pelo paciente.

A principal forma de tratamento da infecção é a administração de antibióticos, aplicados diretamente nos ferimentos (cremes e pomadas) ou administrados oralmente.

Importante: é preciso tomar os antibióticos até o final do prazo determinado, mesmo que as feridas do impetigo já estejam curadas. Caso contrário, pode haver resistência da bactéria.

Só o especialista pode definir a dose exata, assim como o tempo de duração do tratamento. Automedicação e interrupção do uso de medicamentos são duas medidas que atrapalham o processo de cura e, pior, podem causar danos sérios e até a morte.

As informações divulgadas aqui não substituem o aconselhamento médico. Mas espero que elas possam ajudar de algum modo a cuidar da sua saúde e das pessoas que você ama.

Até breve com muito mais!