Mãe solteira: como ser mãe e pai ao mesmo tempo

Ter filhos é um prazer indescritível, mas dá trabalho, lógico. E quando a criação é feita somente pela mãe, aí já viu… Mas não precisa entrar em pânico ou se descabelar. Com algumas dicas e organização, ser pai e mãe ao mesmo tempo é possível.

No mundo inteiro, mulheres tocam a vida e criam seus herdeiros sozinhas e conseguem lares felizes, estáveis. Afinal, o pai é importante, mas se, por algum motivo especial ele não está por perto, o barco não vai naufragar. A mamãe assume o leme!

mae-solteira

Para dar uma mãozinha, confira abaixo um pequeno manual da mãe solteira:

Cuide de você – eu sei que o tempo é curto e não tem ninguém para “cobrir” o seu turno. Mas, sem cuidados nos primeiros meses de maternidade, tempestades em alto-mar são mais difíceis de suportar (até rimou…). E o tal cuidado não é largar o bebê sozinho e ir para a academia, é claro. São pequenos detalhes que fazem grande diferença.

A dica é saber fazer escolhas. Comer e dormir o máximo que o bebê permitir passam a ser prioridades totais. A casa pode ficar de pernas para o ar, assim como a grande maioria das mensagens recebidas pelas redes sociais.

As pessoas precisam entender que o momento é intenso e você precisa eleger prioridades por uma questão de sobrevivência mesmo. Sem exagero.

Saiba aceitar ajuda – sim, se você não consegue fazer isso, tem boa chance de aprender enquanto mãe solteira ou “pãe”, uma mistura de pãe + mãe, com dizem por aí…

Com companheiros por perto, toda ajuda é bem-vinda, imagine em produção independente ou contexto parecido. É bom lembrar: tire o foco da culpa; não se puna e evite pensamentos ruins, como os de vítima ou de alguém que merece sofrer.

Aproveite quem estiver ao redor prestando auxílio – e peça também quando precisar. Caso exista alguma rusguinha boba com um parente ou amigo, deixe o bebê aproximar vocês. Eles têm esse poder e são irresistíveis para quase todos!

Seja objetiva ao dizer do que necessita – é colaboração com a limpeza? Com a comida? As roupas? Está precisando dormir um pouco ou que a pessoa atenda ao telefone?

Nenhuma família é perfeita – existe uma fantasia em que tudo funciona bem nos modelos tradicionais, com pai e mãe presentes. Ilusão! Só existe nas propagandas de margarina.

Toda casa tem seus problemas. E com a chegada de um bebê, rola um estresse, sim, para todos. Muitas vezes, as brigas entre os casais aumentam. Um clima assim não faz bem, com certeza.

Não deixe aquela pontinha de inveja de lares aparentemente perfeitos virar amargura, ressentimento. São sentimentos nocivos tanto para você quanto para o bebê, e ainda roubam a energia, justamente o que você mais precisa, não é?

Concentre-se nas boas coisas da SUA vida, na companhia de casais que você admira; não passe o tempo inteiro falando mal dos homens e nem prive seu filho ou filha de contato com modelos masculinos bons.

Prepare-se para emergências – seu filho pode ter uma febre alta tarde da noite e não ter mais remédio por perto. Isso não acontece só com a vizinha. E se você ficasse de cama, com virose? Ok, não é agradável pensar nisso, mas é necessário.

Tenha uma lista de emergência. Amigos e/ou familiares com os quais possa contar em extrema urgência. Mesmo que no restante do tempo você dê conta – muito bem, por sinal – de ser a mulher maravilha.

E os seus vizinhos, você conhece? Nem sempre dará tempo de esperar quem mora mais longe chegar.

Para completar o manual da mãe solteira, participe de grupos. Existem outras mulheres na mesma situação que a sua.

Boa sorte e até breve com outras dicas!