Método BLW: Alimentação infantil que dispensa papinhas

Chegou o momento de experimentar outros alimentos, bastante diferentes do leitinho do seio da mãe. É hora de provar as papinhas, certo? Não exatamente. Com o Método BLW, a estreia de novas comidinhas acontece de outra forma.

O chamado Desmame Guiado pelo Bebê, ou em inglês Baby-led Weaning, consiste em oferecer comida em pedaços. E a própria criança vai se servindo sozinha. Uma prática que já possui milhares de (mães) seguidoras no mundo inteiro.

A expressão original pode até parecer meio complicadinha. No entanto, a ideia dela é justamente o contrário, é dar autonomia, facilitar a vida durante a alimentação da criança. Algo que, por instinto, muitas mulheres já praticam de certa forma com seus filhos.

Ou seja, o BLW não é exatamente uma novidade, mas de uns tempos para cá ganhou nome.

No Brasil, a técnica está cada vez mais conhecida. Prova disso é o crescente interesse por ela nas redes sociais. O grupo mais expressivo do Método BLW no Facebook recebe aproximadamente 50 membros novos por dia. E já são mais de 5 mil inscritos – a maioria é de mães (acesse o grupo aqui).

O que é e como surgiu o BLW

Foi uma agente de saúde britânica chamada Gill Rapley quem inventou o método que dispensa as famosas papinhas. Ela é autora do livro “Baby-led Weaning: Helping Your Baby to Love Good Food”.

A tradução livre disso tudo aí é “Desmame Guiado pelo Bebê: Ajudando seu Filho a Amar Boa Comida”.

Sua ideia central não é dar coisas diferentes ou estranhas aos pequenos, mas permitir que eles participem das refeições familiares a partir dos 6 meses de vida.

Sentados à mesa, os bebês podem se servir dos alimentos cortados, que ficam ao alcance deles para que escolham o que levar à boca e quando fazer isso.

Mas como que será que entidades de peso como a Organização Mundial de Saúde orientam os pais no momento de complementar a nutrição de seus filhos? A instrução da OMS é que eles comecem a oferecer alimentos ou fórmulas infantis assim que os bebês completarem 6 meses.

Já os pediatras sugerem que essa introdução seja feita com as tradicionais papinhas, ou seja, um preparo espesso e oferecido com colher. Depois das comidinhas pastosas (papas ou purês), aos poucos, o menu ficaria mais consistente até chegar à alimentação da família.

Método BLW: Desmame guiado pelo bebê

Assim diz o Manual de Orientação do Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria.

A autora do livro “Baby-led Weaning: Helping Your Baby to Love Good Food” não concorda com isso.

Segundo Rapley, a prática de recorrer às papinhas é antiga, do tempo em que se acreditava que os bebês precisavam, já aos 3 ou 4 meses, de outros alimentos, além do leite materno.

E mais: a agente de saúde britânica acredita que, aos 6 meses, as crianças estão mais preparadas para mastigar. Algo que seria comprovado pelas habilidades normalmente adquiridas nessa fase.

Por exemplo: levar objetos à boca com as mãos; ter interesse na comida dos mais crescidinhos; ficar sentada.

É claro que isso em condições normais de saúde. Algumas crianças têm necessidades específicas, pois nasceram prematuras ou apresentam algum atraso no desenvolvimento.

Para muitos profissionais da área de nutrologia, a transição do aleitamento materno exclusivo para a introdução alimentar guiada pelo próprio bebê é um caminho natural. Isto é, a ingestão de sólidos acompanha o ritmo orgânico e está de acordo com as habilidades motoras da criança.

E você, o que acha do Método BLW?

Até o próximo artigo!