Como não engravidar: Métodos contraceptivos

A eficácia de um método anticoncepcional não depende exclusivamente de sua composição, mas, também, da forma como ele é utilizado. No artigo de hoje, você vai conferir como adiar os planos da maternidade, e o que acontece quando o contraceptivo não é usado da maneira ideal. Veja:

  • Tabelinha – o risco de engravidar fazendo a tabelinha perfeitamente fica entre 3% e 5%. Entretanto, o uso típico dela oferece 25% de possibilidade de ficar grávida.

Lembrando que basta uma febre ou outro fenômeno dentro do corpo para alterar a data da ovulação e comprometer o método. Na verdade, a tabelinha é boa mesmo para engravidar…

  • Espermicida – aplique o produto da maneira correta e você terá 18% de chance de ter um filho – um percentual que salta para 29% se você não usar o espermicida de acordo com as instruções da embalagem.
  • Diafragma – atualmente, é um método pouco usado, oferecendo 6% de risco de uma gravidez fora de hora quando posicionado e utilizado do jeito correto. Caso contrário, a possibilidade sobe para 16%.
  • Camisinha masculina – é uma das mais democráticas entre as formas de prevenção da gravidez, e também uma das mais seguras, desde que colocada como manda o figurino, ou melhor, seguindo as instruções. O que inclui cuidado ao abrir a embalagem.

Com a camisinha masculina, as chances de engravidar são de apenas 2%. O problema é que, se sobrar empolgação e faltar cautela, o risco sobe para 15%.

  •  Camisinha feminina – a versão feminina da camisinha evita 95% das gestações. Porém, usado da maneira errada, o produto faz despencar esse índice para 79%.
  • Coito interrompido – se a prática da retirada do pênis do canal vaginal antes da ejaculação for executada de maneira perfeita – o que é bastante improvável – a probabilidade de engravidar é de 4%. As chances sobem para 27% em caso de erro.
  • Pílula combinada – um simples esquecimento ou tomar o comprimido concomitantemente com outros remédios aumenta de 0,3% para 8% a possibilidade de acontecer uma gestação.
  •  Adesivo – com o adesivo, acontece algo semelhante à pílula. Esquecer de trocar ou recolocar o contraceptivo na hora errada proporciona 7.7% mais chances de engravidar: vai de 0,3% para 8%.
  • Anel vaginal – precisa ser bem-inserido, ou o risco de ter um bebê passa de 0,3% a 8%.
  • Anticoncepcional injetável – para ser eficaz, a droga precisa ser conservada adequadamente. Outra forma de prejudicar a proteção do anticoncepcional injetável é errar a data de aplicação dela. Nestes casos, as chances de engravidar vão de 0,05% a 3%.
  • DIU de Mirena – o risco de gravidez ao adotar o DIU de Mirena é de 0,2%.
  • Implante subdérmico – suas chances de engravidar são de apenas 0,05% usando o método anticoncepcional considerado mais eficaz. Outro bom motivo para apostar no implante é que não tem como usá-lo errado.

Como você viu na lista acima, com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), todo cuidado é pouco ao rasgar o pacote de camisinha, entre outras displicências que prejudicam a eficácia dos métodos contraceptivos.

Vale a pena, também, reforçar o lembrete do horário de tomar a pílula anticoncepcional se você não está disposta a engravidar no momento. Um aplicativo para celular pode facilitar sua vida!

Caso esteja em dúvida sobre a técnica de controle de natalidade ideal para o seu perfil, responda as perguntas a seguir:

  1. Você pretende engravidar em breve?
  2. Precisa de um método contraceptivo de eficácia curta, prolongada ou definitiva?
  3. Você tem relações sexuais com frequência?
  4. Tomar comprimidos diariamente é um problema para você? Conseguiria tomar um todos os dias, rigorosamente?
  5. A espontaneidade de uso de um contraceptivo é importante em qual nível para você?
  6. Você considera fundamental que o seu método contraceptivo também proteja contra doenças sexualmente transmissíveis?
  7. O custo do método anticoncepcional é fator decisivo?

Para finalizar, saiba que, sem método contraceptivo algum, as chances de gerar uma criança são de 85%. Aproveite o artigo de hoje sobre como não engravidar.

Cuide-se, e até a próxima!