Moisés para bebê: preciso mesmo ter um? Como escolher?

Moisés para bebê nada mais é do que uma forma de cestinha na qual o neném fica totalmente deitado. O item é confundido com bebê-conforto, mas neste a criança fica reclinada e a peça é adaptada ao carro.

Portanto, o Moisés não é bom para proporcionar segurança quando o recém-nascido está no veículo. A principal ideia dele é o descanso mais agradável e profundo, e não um apoio para dar uma voltinha como os pais.

Será que é necessário ter um? E como eu escolho entre tantos tipos? Para ter estas e outras respostas, basta conferir o artigo de hoje até o fim!

O Moisés para bebê é um berço em miniatura que permite melhor descanso da criança quando comparado ao carrinho, por exemplo. Existem modelos em formato de cesta, que possibilitam levar o bebê com conforto e tranquilidade.

Portanto, logo de cara você já pode concluir que o item é ideal para quem tem mais necessidade de locomoção com o recém-nascido.

Isso vale também para os papais que desejam manter o filho no quarto do casal nos primeiros dias ou meses de vida, mas não gostam da ideia de usar um carrinho.

Para quem acha que a criança pode ficar no próprio quarto sem problemas ou tem o berço no quarto do casal, então o Moisés para bebê é dispensável.

Outra opção para substituir o Moisés seria o berço portátil, que pode durar mais. Ele pode ser montado e desmontado facilmente e não fica sem utilidade rapidamente, ou seja, acompanha melhor o crescimento do seu filho.

Porém, se você ainda assim quiser ter um, a dica é conseguir o Moisés emprestado com uma amiga.

Se você não conhecer ninguém que tenha o objeto, e deseje muito ver o seu filhinho nele nas primeiras noites, adquira um modelo simples, que não pese tanto no orçamento.

Pense no custo-benefício da peça!

Dicas para escolher – e usar – o Moisés para bebê

O que não falta é modelo e material. Há uma boa variedade destes cestinhos no mercado, do vime ao metal – além daqueles carrinhos que permitem acoplar um Moisés, bastando trocar o assento.

Alguns são literalmente uma cestinha; outros, mais caros, têm uma base para se adaptar e funcionam como bercinhos, inclusive com rodas.

Seu uso é indicado somente até os quatro primeiros meses de vida. São peças feitas especificamente para esta fase.

O tamanho do Moisés para recém-nascido varia segundo o peso e idade da criança. O truque é optar por moldes adaptáveis.

Ao comprar, prefira sempre os modelos com selos de segurança, aqueles testados e aprovados pelos órgãos responsáveis. Por mais bonitos que sejam, o critério mais importante é o bem-estar do seu filho.

Leveza e facilidade de transporte também devem ser levadas em consideração, especialmente no caso dos modelos com alças. Se a ideia é passear com o filhote, Moisés para bebê deixam a criança sem estresse. Lembrando que, no carro, o bebê-conforto é o mais seguro.

Conclusão…

A maioria das mães passa bem sem um Moisés para bebê. No entanto, algumas acham desconfortável demais manter a criança em um carrinho enquanto ela dorme, não abrem mão da peça. E certamente vão dizer que o Moisés vale a pena.

Enfim, é algo pessoal, no final das contas. E depende muito do tipo de carrinho que a família adquiriu, por exemplo. É claro que o Moisés é bem mais fofo do que um carrinho convencional, mas quem diz se deve ter um ou não é você.

É natural ter dúvidas, principalmente quando é o primeiro filho. Mas pense bem na sua real necessidade e nos custos.

Boa sorte na decisão! Até breve…