O que é uma doula? Entenda a importância da profissional

Doula é uma palavra grega que significa “mulher que serve”. Atualmente, é aplicada àquelas que ajudam outras mulheres antes, durante e depois do parto; um suporte físico e emocional que tem feito bastante diferença para muitas em um momento tão delicado.

Digamos que as doulas preenchem uma lacuna deixada pelas mulheres mais experientes que ficavam por perto das parturientes na hora H e depois dela também. Afinal, médico, enfermeiras e auxiliares estão todos ocupados, cada um com seus afazeres.

Sem falar no ambiente impessoal dos hospitais, por melhores que sejam, além do vaivém de pessoas desconhecidas. Tudo isso dá medo, aumenta a ansiedade e a dor.

Então, quem cuida do bem-estar físico e psicológico de quem está dando à luz? A doula ou acompanhante de parto. A importância emocional e afetiva dela é enorme, pois está encarregada de suprir uma demanda que não cabe a nenhum outro profissional.

Tarefas de uma doula

o-que-e-uma-doula

• Orientar o casal antes do nascimento do bebê, dizendo o que esperar do parto e depois dele. Também explica os procedimentos habituais, auxiliando na preparação na mulher em vários sentidos.

• O serviço desta assessora começa bem antes do dia do nascimento do bebê, por meio de encontros para conhecer a gestante. Nas conversas, ela revela as etapas do trabalho de parto, fala da preparação do períneo e da elaboração do plano de parto.

• Durante o parto, a doula atua conectando a equipe de atendimento e os futuros papais. Termos médicos complicados e procedimentos hospitalares são explicados, diminuindo a “frieza” do processo.

• Ela ajuda a parturiente a achar posições mais confortáveis para o trabalho de parto; propõe medidas naturais para aliviar as dores (banhos, massagens, relaxamento, etc.).

• Em um dos momentos mais vulneráveis da vida, a doula mostra formas eficientes de respiração, ajudando a tranquilizar a parturiente, facilitando o parto.

• Depois que a criança nasce, é função da doula fazer visitas à família, oferecer auxílio no pós-parto, principalmente no início da amamentação e nos cuidados com o recém-nascido.

E aproveita também para conversar sobre a experiência do parto, entre outros temas relevantes.

Saiba melhor como uma doula atua e o que ela não faz

doula

 

O papel de uma doula é importante, porém, não substitui o do pai ou acompanhante escolhido pela gestante. Na verdade, durante o trabalho de parto, o pai muitas vezes não sabe como deve se comportar.

Ele não faz ideia do que fazer, do que a mulher precisa em cada situação. Ao mesmo tempo, fica constrangido ao demonstrar emoções, com receio de que isso atrapalhe a companheira.

A doula mostra como confortar a mulher, ensina os pontos de massagem ideais e outras formas de auxiliar, especialmente na hora da expulsão, pois muitas posições ficam menos desconfortáveis com suporte físico.

Mas, atenção! A doula não executa procedimento médico algum; não realiza exames; não interfere na saúde do bebê; não discute procedimentos ou questiona decisões.

Ela não substitui médico ou qualquer outro profissional normalmente envolvido na assistência ao parto.

Em geral, as vantagens de uma doula têm sido reveladas não só no dia a dia das mamães, como, também, nas pesquisas. Essas “mulheres que servem” podem:

• Reduzir pela metade o número de cesarianas;
• Diminuir em 20% o tempo de duração do trabalho de parto;
• Reduzir os pedidos de anestesia em 60%;
• Diminuir em 40% o uso de oxitocina;
• Diminuir em 40% o uso de fórceps.

Os números acima, embora não sejam brasileiros, refletem o valor que uma doula tem em uma das horas mais importantes da vida de uma mulher. Doula não é parteira, não é enfermeira, não faz procedimento invasivo, como exame de toque, ou administração de medicamentos.

É aquela pessoa que, além de técnicas e capacitação para atuar, olha nos olhos da grávida e diz: “Você vai conseguir”. Quem não gosta de ouvir isso, não é verdade?

Até breve com mais conteúdo!