Síndrome dos Ovários Policísticos: causas, sintomas e tratamentos

A Síndrome dos Ovários Policísticos dificulta a gravidez e traz diversas consequências físicas, inclusive na pele. Saiba mais sobre a SOP no artigo de hoje.

O problema é bastante comum nas mulheres em idade reprodutiva e trata-se de um distúrbio hormonal também conhecido como Síndrome de Stein-Leventhal.

A doença causa aumento de tamanho dos ovários, que criam vários cistos, espécies de bolsas cheias de líquido.

As portadoras da SOP normalmente apresentam altos níveis de hormônios masculinos. Em alguns casos, até desenvolvem características masculinas, tais como excesso de pelos.

Um dos sinais da doença nas adolescentes é a falta de frequência ou ausência total da menstruação.

Os primeiros sintomas da Síndrome dos Ovários Policísticos são notados geralmente logo após a primeira menstruação. Contudo, a enfermidade pode surgir mais tarde, ao longo da vida reprodutiva, normalmente devido a ganho de peso ou outro gatilho hormonal.

Por que a SOP acontece? Não se sabe ao certo. A causa exata da disfunção é desconhecida. Porém, a medicina identifica alguns fatores de risco. São eles:

• Baixo peso ao nascer
• Excesso de insulina
• Histórico familiar
• Resistência à insulina
• Surgimento dos pelos pubianos no início da puberdade

Mas, com diagnóstico precoce e tratamento imediato é possível reduzir bastante a chance de complicações maiores. É que, em longo prazo, as portadoras da doença podem desenvolver diabetes do tipo 2 e enfermidades cardíacas.

Por isso, é importante procurar logo o médico quando há irregularidade menstrual, especialmente se você tem muito pelo (no rosto e corpo) ou acne.

E as irregularidades acontecem de várias maneiras: com períodos frequentes, prolongados ou ausência de períodos menstruais.

O diagnóstico não envolve um teste específico para SOP. É feito por exclusão, ou seja, os médicos levam em conta todos os sinais da paciente e vão eliminando possibilidades até chegar a uma conclusão.

O profissional de saúde deve conferir o histórico médico, por meio da checagem de informações sobre características da menstruação e sintomas recentes, além de pedir exames de sangue, pélvico, ultrassonografia, entre outros.

O tratamento da Síndrome do Ovário Policístico

pilula-anticoncepcional

É feito principalmente através do gerenciamento de sintomas e complicações, tais como acne, obesidade ou infertilidade.

Para tanto, remédios podem ser prescritos com objetivo de regular a menstruação, diminuir a taxa de insulina e prevenir diabetes tipo 2, auxiliar na ovulação, inibir o crescimento excessivo de pelos, etc.

Caso a intenção da mulher seja ficar grávida e os medicamentos não resolverem a SOP, existe ainda a possibilidade de uma cirurgia ambulatorial. É a perfuração ovariana laparoscópica. Porém, somente o médico pode chegar à conclusão sobre a necessidade dela.

O procedimento é feito através de uma pequena incisão no abdômen, no qual é inserido um tubo ligado a uma minicâmera. O equipamento fornece imagens detalhadas dos ovários e órgão da pélvis.

Em seguida, o cirurgião acrescenta instrumentos e usa energia elétrica ou laser para fazer buracos em folículos sobre a superfície dos ovários. A ideia é induzir a ovulação.

Quanto aos remédios, os mais indicados para combater a Síndrome de Stein-Leventhal são: Diane 35, Diclin, Glifage, Glifage XR e Metformina.

Lembrando que apenas um médico pode dizer qual a substância ideal para cada caso, a dose certa e a duração do tratamento.

É importante, ainda, seguir as orientações corretamente e nunca se automedicar; não interromper o uso do medicamento por conta própria ou tomar mais do que foi prescrito.

A Síndrome dos Ovários Policísticos não pode ser evitada. Mas suas complicações, sim. Então, fuja da obesidade, infertilidade, síndrome metabólica, diabetes e doenças do coração.

Cuide-se e até breve!