Trombofilia na gravidez: causas, sintomas e tratamento

A trombofilia é uma condição em que seu sangue tem uma tendência crescente de formar coágulos, o que pode afetar você e o seu bebê se você estiver grávida. Essa condição não é muito comum e normalmente ocorre não por causa da gravidez, mas pode ser descoberta durante a gravidez, uma vez que seus sintomas não são claros.

Uma nova mamãe pode se surpreender com a descoberta de que tem trombofilia, por isso é importante que você conheça um pouco mais sobre essa condição, pesquise seu histórico familiar e tire todas as suas dúvidas em relação a isso com seu médico, garantindo que sua gravidez ocorra da melhor maneira possível, onde você e seu bebê estarão seguros.

Todas as suas dúvidas sobre essa condição você esclarece aqui.

O que causa trombofilia?

Se você sofrer uma lesão, seu corpo irá desencadear um processo de cura, o que permite coagular o sangue e evitar que você perca muito sangue. Isso é conhecido como hemostasia e envolve diferentes produtos químicos, fazendo com que o sangue se solidifique em um coágulo, que se encaixa na parte ferida do vaso sanguíneo. Existem também produtos químicos naturais no sangue, que atuam contra o sistema de coagulação, para impedir a elevada coagulação do sangue.

Mas se você tem trombofilia, o sistema de coagulação não funciona, o que significa que o sangue pode coagular demais e, por vezes, causar problemas durante a gravidez.

Quem pode ter trombofilia?

Alguns casos de trombofilia são hereditários – onde uma tendência para formar coágulos de sangue corre na família e é transmitida de seus pais para você. Em outros casos, você pode adquirir trombofilia se você tiver um problema com seu sistema imunológico ou como resultado de outro problema médico que se desenvolveu.

Como é diagnosticada a trombofilia?

Não há sintomas óbvios de trombofilia. O primeiro sinal de que há um problema seria um coágulo de sangue, e os sintomas de um coágulo de sangue variam dependendo de onde ele aparece. Se for um coágulo nos pulmões, isso pode causar problemas respiratórios, mas se o coágulo ocorrer nas pernas, você pode apenas sentir suas pernas inchadas.

Você pode verificar se tem trombofilia através de exames de sangue, mas você só será testada para a trombofilia durante a gravidez se você estiver dentro de certos fatores de risco. Estes incluem o sofrimento de abortos espontâneos recorrentes, um histórico familiar de trombofilia ou se você teve um bebê menor do que a média ou um prematuro.

Se você sabe que tem essa condição, ou tenha um membro da família que o tenha, certifique-se de informar o seu médico assim que começar a tentar engravidar, ou se já estiver grávida, deixando isso claro desde o início.

Quais os problemas que a trombofilia pode causar na gravidez?

É importante que a trombofilia seja observada e tratada, se necessário na gravidez, porque ela pode representar um risco não apenas para você, mas também para o seu bebê em crescimento.

A trombofilia pode restringir o crescimento de seu bebê no útero ou afetar o quão bem a placenta funciona para fornecer alimentos e oxigênio ao seu bebê, também podendo aumentar o risco de pré-eclâmpsia, parto prematuro, aborto espontâneo e morte fetal.

Qual é o tratamento para a trombofilia?

Se você tiver trombofilia, o tratamento dependerá do tipo de trombofilia que você tem, se você teve um coágulo sanguíneo no passado e do seu histórico familiar. O seu médico clínico geral pode começar prescrevendo 75 mg de aspirina, que é um diluente do sangue, para ajudar a reduzir o risco de coagulação, por exemplo.

Outro tratamento é a heparina de baixo peso molecular, uma droga que atua como anti-coagulante para evitar coagulação no sangue.

Um estudo recente realizado no Instituto de Pesquisa do Hospital de Ottawa, no Canadá, sugeriu que a heparina não era um tratamento efetivo para a prevenção de coágulos sanguíneos e causava dor desnecessária na gravidez, porém, isso ainda não foi confirmado, e um dos tratamentos para a trombofilia na gravidez continua sendo esse, e médicos dizem que é preciso que haja mais estudos antes que possamos considerar procurar mudar os métodos de tratamento.

O que acontece quando você tem trombose venosa profunda?

A trombose venosa profunda (TVP) acontece quando um coágulo se forma nas veias das pernas ou pelve. É mais comum em pessoas que têm trombofilia, mas você também pode ter esse tipo de trombose sem ter a condição em si, e é mais provável que isso ocorra quando você está grávida. Isso acontece porque seu sangue é mais propenso a coagulação para evitar o excesso de perda de sangue quando você dá à luz.

Os sintomas da TVP podem incluir um ou mais dos seguintes sintomas na perna; Inchaço, dor, pele quente, tensão e vermelhidão, particularmente na parte de trás da perna abaixo do joelho.

É possível prevenir coágulos sanguíneos ou trombose venosa profunda?

Ter excesso de peso ou estar desidratada pode aumentar o risco de formação de coágulos sanguíneos, e isso pode ocorrer mais frequentemente quando você fica imóvel por longos períodos de tempo. Use meias de compressão se estiver fazendo um voo longo, por exemplo.

Se você está preocupada ou insegura sobre os sintomas que você está enfrentando, como dor torácica, falta de ar ou uma perna dolorida e inchada, fale com seu médico imediatamente.

Pré-eclâmpsia e trombofilia

A associação entre pré-eclâmpsia e trombofilia permanece um tanto obscura por causa de dados inconsistentes. Por isso, nada pode ser confirmado em relação a isso, porém, existem indícios de que a trombofilia é um fator que pode desencadear ou facilitar uma pré-eclâmpsia.

Essa associação entre as duas condições, no entanto não significam que sua gravidez está em muito risco de pré-eclâmpsia caso você tenha trombofilia, porém, um acompanhamento minucioso do seu médico (a) obstetra nesse caso é altamente recomendado.

Por fim, procure sempre seu médico caso você tenha ou suspeite de trombofilia e esteja grávida ou esteja tentando engravidar, uma vez que essa condição pode trazer sérios riscos para a saúde da mamãe e para a saúde do bebê.